Alunos do curso de design de moda do Istituto Europeo di Design apresentam seus trabalhos em desfile

Istituto Europeo di Design Desfile Alunos Curso de Design de Moda

Na noite de quarta-feira, dia 11 de dezembro de 2013. os alunos do curso de design de moda do Istituto Europeo di Design – IED São Paulo – IED São Paulo, apresentaram um desfile de suas criações. Foram aproximadamente 135 peças em 70 looks femininos, unissex, masculino e infantil, desenvolvidos por 16 alunos.

 

 

De acordo com Debora Carammaschi, coordenadora do curso de design de moda, os alunos foram submetidos a duas avaliações para integrar o desfile. “Os 105 alunos que estão se formando em 2013 passaram pela comissão avaliadora composta por professores do IED. Destes, os que obtiveram nota superior a 8,5, foram submetidos a uma banca externa, para a qual trouxemos 14 profissionais do mercado fashion, para uma nova avaliação. Nesta segunda fase, 16 alunos se destacaram e vão mostrar suas criações no desfile”, explica a coordenadora.

 

 

Ainda segundo Debora, a proposta foi estimular a busca por novos materiais, texturas e shapes. “Boa parte dos trabalhos conseguiu implementar inovações. Veremos na passarela materiais como tubo de látex, latão, borracha, redes de pesca, neoprene e até fibra de vidro carbono. Os alunos trabalharam na pesquisa, concepção, processaram os materiais, as tramas, e o resultado é uma coleção com qualidade profissional e bastante conceitual, que pode ser a tendência para os próximos anos”, complementa.

 

 

Debora Carammaschi, explica que as criações foram livres, ou seja, não estão atreladas a alguma estação do ano, como ocorre no mercado. “Temos trabalhos muito interessantes, inspirados no Rio São Francisco, em que a designer faz uma releitura de tricô, renda filó, tingidas em degradê; nas tradições coreanas que revisita a arquitetura coreana e traz esses elementos para o vestuário; e, também, uma coleção inspirada na Carmem Miranda, que trouxe roupas com elementos do cotidiano, como calendário de pano e bebedouro de beija-flor como acessório do look”, conta. Dentre os principais materiais, os que mais chamaram a atenção foram o uso da borracha, corrente de bicicleta e fibra de vidro”, complementa Debora.

 

 

Já cada um dos 10 alunos do curso de joias e acessórios levou para o Apriti três joias da sua coleção. De acordo com Janiene Santos, coordenadora do curso, as peças apresentadas são atemporais, com diferentes estilos. “Temos uma coleção que homenageia o artista Van Gogh, outra faz referência às flores e curvas do cerrado brasileiro, além de uma linha desenvolvida com peças de um relógio”, comenta Janiene. “Em acessórios destacamos duas linhas de bolsas bem diferentes. Art Déco traz modelos clássicos e a Pop Art, confeccionada com lona de pet reciclado”, finaliza  Janiene.

 

 

A direção geral do desfile foi  da coordenadora do curso e contou com produção executiva de Wan Vieira, que há mais de dez anos desenvolve trabalhos nas principais semanas de moda do País, como Fashion Rio, Fashion Business e São Paulo Fashion Week.

 

Alguns destaques do desfile:

– Mariela Moreira exalta o homem antropocêntrico lidando com o emocional e o racional. As principais características são peças autorais em organza de seda, algodão cru, fibra de vidro e fibra de vidro carbono, tecido Double, couro cyber, voil. Estruturas em fio de cobre cozido e barbatanas.

– Roberta Lettiere inspirou-se no grotesco e as principais características de suas peças são a androgenia, desconstrução do tricô e do crochê. Peças feitas no moulage, sem croqui.

– Jéssica Perchiavalli teve como inspiração a influência da música no cérebro. Principais características: utilização de materiais como tubo de látex, latão e borracha.

– Anomalias e torturas sociais foram a inspiração de Carolina Lazari. Usando acrílico, couro e até corrente de bicicleta, procura causar desconforto tanto em quem veste quanto em quem vê a peça.

– A epifania sonora de Andressa Marguet mostra a relação entre o clássico e o eletrônico. Rendas, transparências, rede de pesca, tutu de ballet (mangas e saias) e bola de futebol americano fazem parte dos materiais utilizados.

– Juliana Roitman leva à passarela do Apriti a Art Nouveau em roupas de festa usando tricô e bordados. Peças sensuais sem vulgaridade, soltas e sofisticadas. Inclui vestidos, sutiã e sapato.

– Juliana Polý usa o arquétipo da mulher selvagem (sereias e guerreiras). Vai apresentar vestidos, maiô, saia, top, quase todas feitas com cordas para retratar a mulher e o mar.

– Priscila Lee Kim questiona “como será o futuro próximo?” com peças em 4D, utilizando-se de organza estruturada, lycra e crinol. A coleção é conceitual e traz um mix de festa e beachwear.

– Aline Perrenoud apresenta os conceitos zen do Budismo por meio dos seis reinos da evolução demonstradas em cores que vão do escuro ao claro, do mais fechado ao mais aberto. É uma linha masculina, esportiva e um dos materiais é o neoprene.

– Rafaela Bacchi se inspira em frutas e hortaliças para criar peças lúdicas que unem o clássico e o moderno e acabamento diferenciado. Peças infantis feitas em tecidos sintéticos e formas diferentes.

 

.