Feira Zero Grau 2012 – Expositores animados com a movimentação do primeiro dia

Feira Zero Grau 2012 - Intensa movimentação no primeiro dia

Feira Zero Grau 2012 – Gramado/RS recebe lojistas
e fabricantes de calçados e acessórios para negociar
a produção calçadista nacional do Outono Inverno 2013

 

Segunda-feira, 19 de Novembro de 2012,  primeiro dia da Feira Zero Grau – Salão
de Tendências em Calçados e Acessórios teve começou positivo para os fabricantes
da cadeia calçadista nacional. Muitos expositores já confirmavam a efetivação
de vendas e pedidos para a estação fria. Além da grande circulação de lojistas
de todo o país, compradores internacionais também vieram com o propósito
de encomendar produtos a fim de abastecer distribuidores e lojistas das três Américas.
Entre os corredores do Centro de Eventos do Serra Park, em Gramado/RS,
que sedia a Zero Grau, até quarta-feira, dia 21 de novembro, a certeza é de consolidação
e crescimento de mais uma edição do evento lançador das tendências em moda
e tecnologia do setor para o Outono Inverno 2013.

Segundo o comprador internacional Mario Aguirre, do Equador, a previsão é fechar
negócios com cinco empresas já pré-definidas. “Negociaremos cerca de U$ 80 mil
com cada uma das marcas na feira. Essa mostra é muito importante,
pois nos aproxima dos fabricantes e podemos conhecer melhor a qualidade
dos produtos brasileiros, principalmente em relação ao design e criatividade”,
descreve Aguirre. Ele ainda explica que o conceito dos calçados
daqui é extremamente positivo no Equador.
Atualmente, cerca de 60% dos calçados importados pelo Equador são do Brasil
e 40% da China. Aguirre associa estes números à facilidade de comercialização,
principalmente, devido ao acordo bilateral existente entre os países.
“Como há essa política tributária, que permite a redução de impostos,
acabamos favorecendo a comercialização entre Brasil e Equador”, afirma.
“Por isto, estamos concentrando nossos convites para importadores dos países
das Américas”, diz Frederico Pletsch, diretor da Merkator Feiras e Eventos.

Em relação ao mercado interno, os expositores estão prevendo um bom crescimento
em comparação à primeira edição da feira. O Gerente de Vendas da Kildare,
de Novo Hamburgo/RS, explica que em poucas horas de evento já fechou
negociações. “Na Zero Grau podemos sentir o momento em que o mercado
se encontra e também sentir a aceitação da nossa coleção”, revela.
Já a Diretora de Marketing da Bibi, de Parobé/RS, Camila Kohlrausch,
destaca que a movimentação do primeiro dia está muito boa. “A nossa expectativa
é de um crescimento em vendas de 15% em relação à edição anterior”, afirma.
Paulo Santana, Diretor da Zeket/Hetane, de Igrejinha, corrobora com a alta
movimentação do primeiro dia e ressalta que adiantou suas novidades
para apresentá-las na Zero Grau, onde pretende vender cerca de 30%
a mais do que no ano passado. “Sem dúvida, a Zero Grau está consolidada
e a tendência é crescer cada vez mais. Um dos aspectos mais positivos é a data,
muito conveniente para a indústria”, descreve.

De acordo com a Abicalçados – Associação Brasileira das Indústrias de Calçados,
o Brasil produz 900 milhões de pares de calçados por ano, que representam
um montante de U$ 13 bilhões. Desse total, a exportação representa U$ 1,2 bilhão.
A temporada Outono Inverno consome cerca de 35% dos pares produzidos
durante o ano, e este volume começa a ser comercializado na Zero Grau,
dando início aos negócios da estação fria. O restante da produção é destinado
a produção primavera/verão.

Nos três dias da feira estão expostas mais de 600 marcas de calçados e acessórios.
A previsão é de que mais de 10 mil visitantes circulem pelos corredores da feira.