Feira Zero Grau 2016 : Lojistas objetivos e negócios acima da expectativa

Feira Zero Grau 2016 - Foto Dinarci Borges / FlashTop
Feira Zero Grau 2016 – Foto Dinarci Borges / FlashTop

Terminou na quarta-feira (24.11.16) a Zero Grau – Feira de Calçados e Acessórios, promovida pela Merkator Feiras e Eventos, que reuniu por três dias no Serra Park, em Gramado / RS, expositores, lojistas e profissionais do setor calçadista. O evento comercial gerou volume de vendas acima do esperado e lojistas objetivos ao fecharem pedidos. “Conseguimos vender bem inclusive nesta quarta (23.11.16), contrariando as previsões e uma espécie de tradição que existia de esvaziamento das feiras no último dia”, comentou o diretor da Merkator Feiras e Eventos, Frederico Pletsch.

“O longo inverno de 2016 deixou os estoques das lojas vazios de produtos para o frio. O varejo chegou a comercializar calçados e acessórios que estavam estocados desde o ano anterior, e ainda teve que reforçar seus pedidos de última hora. Notamos aqui que o lojista não quer estar desprevenido novamente. Os compradores buscaram refazer seus estoques, e muitos estão antecipando a renovação da vitrine para ter desde cedo os produtos de inverno. O frio desse ano surpreendeu, e isso teve um reflexo muito positivo para a Zero Grau”, explica o diretor da Merkator.

O lojista desembarcou em Gramado, na Serra Gaúcha, com um proposta bem definida. Pesquisar e comprar quando deslumbrar produtos de qualidade, identificados com a moda e que permitam comercialização com margens de 1.4 a 2.3, sem assustar o cliente. “Compramos muito e logo nos primeiros dias da feira. Queríamos encontrar botas e tênis de sola mais alta, que estão na moda desde agora. Encontramos tudo o que procurávamos, comprando de várias marcas diferentes e antecipando o recebimento”, afirma a proprietária da Cidinha Calçados, rede com lojas no interior de São Paulo. Também da região sudeste, Lourdes Moreira, proprietária de loja no Rio de Janeiro, disse que “Mesmo não fazendo tanto frio, o público do Rio gosta de botas com cano curto. Vendemos tudo o que tínhamos em casa, e agora precisamos refazer o estoque. Conseguimos encontrar tudo o que procurávamos, privilegiando os fabricantes menores, que é algo que gostamos de fazer”, comentou Lourdes Moreira, proprietária de loja no Rio de Janeiro, que priorizou

.