Vitória Moda 2014 – Talk show Diálogos Sensoriais estabeleceu analogias entre moda e sentidos

Vitoria Moda 2014 - Talk show Dialogos Sensoriais

O talk show Diálogos Sensoriais realizado na quinta-feira (17.07.14), no auditório da Findes (9º andar do Ed Findes – Av. Nossa Senhora da Penha, 2053, Santa Lúcia ), Vitória/ES , reuniu cinco personalidades das áreas de beleza, gastronomia, enologia, arquitetura e música para falar sobre a relação entre a moda e os cinco sentidos, tema da edição de 2014 do Vitória Moda 2014.

 

 

Promovido pelo Sistema Findes, Câmara Setorial da Indústria do Vestuário e Sebrae-ES, o evento, que integra a programação cultural do Vitória Moda, foi aberto pelo coordenador da semana de moda, o empresário José Carlos Bergamin, que anunciou a palestra do estilista Ronaldo Fraga, no dia 28 de julho, no auditório da Findes. Após, as convidadas  Ada Mota ( farmacêutica-bioquímica ), Vivian Coser ( arquiteta e designer de interiores ), Alza Alves ( professora de canto e fonoaudióloga ), Bárbara Verzola ( chef  ) e Márcia Lopes ( sommelière ), com mediação da  jornalista Betty Feliz, falaram sobre como conceberiam, a partir de suas vivências profissionais, um evento de moda dentro da temática dos cinco sentidos.  As cinco convidadas da noite, estabeleceram analogias entre a moda e as atividades que as convidadas exercem nas áreas de gastronomia, enologia, música, beleza/estética e decoração.

 

 

Para José Carlos Bergamin, a ideia de juntar personalidades de segmentos diferentes nasceu a partir da concepção do tema do evento do Vitória Moda 2014. “O vestuário, seus materiais têxteis e não têxteis, a silhueta, a forma, as cores, os aromas, enfim, a moda sempre esteve associada aos cinco sentidos, mas nem sempre nos damos conta disso. No entanto, todos sabemos que o bom design de moda é aquele que estimula nossas emoções, proporcionando desejo, conforto e prazer no ato de vestir-se. As cores e estampas que saltam aos olhos (visão); as texturas (tato) suaves, frescas, ‘molhadas’, ásperas ou macias e os aromas dos tecidos, cada vez mais perfumados, assim como o ambiente das lojas (olfato); o farfalhar das sedas ou das ondas sonoras transmitidas por certas texturas (audição), e até mesmo o desejo de experimentar e possuir as roupas, que leva ao exercício de uma espécie de antropofagia consumista (paladar). Tudo isso pode ser degustado nos cinco sentidos”, arremata, Bergamin.