SICC 2015 – Feira do setor calçadista bate recorde de importadores e mostra reação de vendas ao exterior

SICC 2015 Gramado Serra Park 105

Cerca de 300 lojistas e distribuidores estrangeiros projetam avanço de até 100% em suas compras de calçados brasileiros, se comparado 2015 com 2014.

A presença de  importadores na edição 2015 do SICC – Salão Internacional do Couro e do Calçado -, que acontece até quarta-feira (27.05.15), nos pavilhões do Serra Park, em Gramado/RS,  está oportunizando negócios em vários idiomas. Estimulados pela data correta da feira, acerto nas coleções e dólar favorável, importadores se programam inclusive para elevar seus volumes de compra em até 100%.

“A indicação certa de lojistas de diferentes países, numa ação dos sindicatos parceiros e da nossa empresa, faz o sucesso do projeto Grupo de Importadores. E além dos nossos convidados, há lojistas que visitam espontaneamente a feira, valorizando cada vez mais o produto brasileiro”, destaca o Diretor da Merkator, Frederico Pletsch. É o caso do lojista Satishvarma Natarajan, da Jawad, com 14 lojas na região do Golfo Pérsico (em Bahrein, Emirados Árabes, Catar e Omã). Ele revela que importará do Brasil 40 mil pares em 2015, dobrando seu volume sobre 2014.

O industrial Werner Júnior, presidente do Sindicato da Indústria de Calcados de Três Coroas, destaca o valor da parceria com a Merkator para a internacionalização do SICC, realizado através de um processo simples que compartilha conhecimento das empresas e a expertise da promotora. Também o vice-presidente do Sindicato da Indústria de Calçados de Igrejinha, Pedro Kayser, reforça a importância de ampliar e manter o mercado externo, que pode auxiliar na época de entressafra do mercado doméstico. Lembra, no entanto, que os pedidos são programados para entrega em seis meses e a variação do dólar é um fator que exige cautela nos negócios.

Vicky Fong Phum, da Negociacions Jade S.A.C (Lima/Peru), distribuidora para 84 lojas em 23 cidades peruanas, afirma que o SICC representa 60% das coleções com que trabalha. Desde 2012 até esta edição, as compras evoluíram de 3.700 para 25.400 pares. De forma geral, ela projeta aumento de 12% no seu volume de importação do Brasil, na relação entre 2015 e 2014, e já programa mais 15% de crescimento para 2016 sobre 2015.

Outra distribuidora que também já projeta avançar em 50% suas importações do Brasil em 2016/2015 – de US$ 1 milhão para US$ 1,5 milhão – é a americana PGM Miami Corporation, que atende Estados Unidos, Canadá e Caribe. O proprietário Cláudio Piereck destaca que o grande vantagem do SICC é a data, que antecipa as coleções. “A indústria brasileira de calçados está muito bem representada aqui”, frisa.