Vitória Stone Fair 2016 : Desvalorização cambial alavanca vendas das rochas ornamentais brasileiras

Feira-Comercial-Vitoria-Stone-Fair-Marmomacc-Latin-America

Edição 2016 da Vitória Stone Fair reforçou a importância do Brasil no setor, consolidando a feira como referência para o mercado da pedra, da construção civil, da arquitetura e design.

Funcionando como termômetro do setor de rochas ornamentais, a Vitória Stone Fair –  Feira Internacional do Mármore e Granito, que aconteceu 16 a 19 de fevereiro de 2016, em Vitória, no Espírito Santo, reunindo 400 empresas brasileiras e 120 expositores de países como a Turquia, Itália, Índia, Portugal, China, Egito, Grécia e Paquistão, mostrou ao mercado, inovação, investimentos e panorama positivo na geração de novos empregos. Um cenário diferente da tendência de uma economia em recessão, com desvalorização cambial e empresários cautelosos nos investimentos. Superando a competitividade interna e sabendo se posicionar no mercado externo, alçando novos mercados, o setor de rochas ornamentais soube ter a agilidade necessária para se reinventar. A mudança de câmbio acabou introduzindo um componente importante de otimismo.

Para Cecília Milanez, diretora da Milanez & e Milaneze, empresa organizadora do evento, em tempos de recessão econômica, os resultados da 41º edição da feira superaram as expectativas do setor. “A feira surpreendeu visitantes e compradores que buscam novos materiais, tecnologia e inovação de equipamentos. Tivemos um número expressivo de visitantes internacionais e nacionais. Esses resultados reforçam a importância da feira mundialmente. Hoje podemos afirmar que a Vitória Stone Fair é uma vitrine do setor das rochas ornamentais brasileiras”, afirma.

Mercado externo
Para um setor que movimentou, em 2015, R$ 1,2 bilhão no estado do Espírito Santo, gerando 25 mil empregos diretos e mais de 100 mil indiretos, a alta do dólar favoreceu os negócios, uma vez que, somente nos EUA, o setor ocupa 1/3 do mercado. O maior exportador de chapa polida atualmente é o Brasil, especificamente o Espírito Santo, responsável por 95% da exportação.

Para o segmento de rochas ornamentais, a Vitória Stone Fair funciona como um termômetro de mercado. Sendo uma das primeiras feiras que acontece no mundo, ela inicia um calendário, com negociações e projetos. “O resultado foi bastante positivo. Na verdade, todos os anos, o fluxo de visitantes aumenta durante o evento. Este ano recebemos a visita de compradores de novos mercados, a exemplo de Trinidad Tobago, que participou pela primeira vez da Vitória Stone Fair”, observa o presidente do Sindicado das indústrias de Rochas Ornamentais, Cal e Calcários (SindiRochas), Tales Machado.

De olho no mercado externo, a Vitória Stone Fair recebeu, pela primeira vez, missões estrangeiras como as do Irã, Alemanha, Austrália, Canadá e Polônia, que derem um novo fôlego no perfil do público visitante, numa prova de que o mercado de rochas ornamentais está em movimento a todo o tempo. “O Sindirochas se reuniu com várias comitivas internacionais buscando parcerias e aproximação para fortalecer ainda mais o setor de rochas ornamentais brasileiro no mercado global”, afirma Tales Machado.

Rochas
O empresário José Antonio Guidoni aposta no sucesso do setor de rochas para 2016. “O setor de rochas vai continuar gerando empregos. O Grupo Guidoni, por exemplo, está abrindo duas novas fábricas sendo que uma delas irá produzir mais 250 contêineres/mês. Compramos também uma fábrica na Espanha onde produzimos 200 contêineres/mês. Vamos abrir mais 22 extrações dentro dos próximos 12 meses”, revelou o empresário.

Os negócios crescem automaticamente e prova disso foram os avanços tecnológicos apresentados durante a Vitória Stone Fair 2016. O setor tem conseguido êxito junto ao MDIC (Ministério do Desenvolvimento) e conseguiu ex-tarifário para que a carga tributária seja menor nos processos tecnológicos da extração e do beneficiamento.

“Existe uma demanda na Vitória Stone Fair, por novas máquinas e equipamentos. A gente observa isso porque as empresas nos procuram pedindo para fazer um processo junto ao Ministério para redução do imposto de importação na compra de um determinado equipamento e, assim, temos a percepção de quais empresas estão investindo”, revelou sem citar valores, a Superintendente do Centro Brasileiro dos Exportadores de Rochas Ornamentais (Centrorochas), Olívia Tirello.

Fusão
No sul do Espírito Santo, uma parceria entre quatro grandes empresas de rochas ornamentais resgata a extração em uma das maiores jazidas de mármore do país. A Cajugran, Bramagran, Magban e Mameri, se uniram na aquisição e administração da Imil Mármores, que corria o risco de encerrar suas atividades depois de 70 anos de mercado.

Sob a nova administração desde outubro do ano passado, a produção de 300m³/mês quase dobrou e a projeção é atingir os mil m³/mês ainda em 2016. Para isso, o sócio da Bramagran, José Carlos Machado, comenta que já foram investidos R$ 10 milhões em equipamentos e novas tecnologias. Quanto à geração de novos postos de trabalho, Eutemar Venturin, também sócio da Bramagran, explica que os 60 empregos que estavam ameaçados, em função das incertezas quanto ao futuro da Imil, foram mantidos e novas contrações deverão ser efetuadas à medida que as atividades da empresa forem dinamizadas, o que deve
ocorrer logo.

Inovação e tecnologia
Participando pela primeira vez da Vitória Stone Fair, a sueca Sandvik, com mais de 60 anos de atuação no Brasil, apresentou uma perfuratriz hidráulica para perfuração de rocha, cujo objetivo é o quarteamento de blocos, além de serviços auxiliares numa pedreira. A DC 120 representa um lançamento quanto à aplicação de uma perfuratriz, atendendo à necessidade de evolução do mercado das rochas ornamentais. Com a DC 120 é possível, com apenas um operador, fazer o dobro do trabalho de uma perfuratriz pneumática.

“O que nos fez participar pela primeira vez da Vitória Stone Fair foi o crescimento do segmento de rochas ornamentais. As principais pedreiras estão acreditando no sistema hidráulico, pois assim conseguem aumentar a produção, a qualidade e a economia”, explicou o engenheiro de vendas Lucas Lessa Melillo. O sucesso nas vendas durante a Vitória Stone Fair já assegura a participação da Sandvik na Cachoeiro Stone Fair, que também será realizada no Espírito Santo, entre 23 e 26 de agosto de 2016.