Zero Grau marca o início das vendas das coleções de Outono/Inverno 2016

movimentacao_ zero_grau_2014-foto-dinarci-borges

A temporada de vendas para o próximo ano será aberta com a realização da Zero Grau –  Feira de Calçados e Acessórios, que acontecerá nos dias 16, 17 e 18 de novembro de 2015, nos pavilhões do Serra Park, em Gramado/RS. A feira marca o início das vendas das coleções de outono e inverno do ano que vem, e será responsável pela produtividade das marcas brasileiras nos primeiros meses do ano novo.

O evento reunirá 290 expositores. Juntos eles são responsáveis pelo desenvolvimentos e produção dos calçados e acessórios de mais de 900 marcas. Algumas das principais grifes brasileiras estarão nos corredores do Serra Park, com indústrias responsáveis por milhares de empregos. “Acreditamos que a feira vai marcar uma retomada para o setor, depois de um ano difícil para toda a economia brasileira. O próximo ano chega com expectativas melhores, e esperamos que isso se traduza em vendas agora”, lembra o presidente do Sindicato das Indústrias de Calçados de Igrejinha, Renato Klein.

A expectativa da indústria é garantir a produtividade das fábricas em um período considerado de baixa, os primeiros três meses do ano. Isso significa garantir a rentabilidade e também os empregos de uma indústria intensiva no uso de mão de obra. “Iniciar o ano já com pedidos garantidos é algo fundamental para as empresas, e será um passo fundamental na recuperação da economia em 2016. Nossas projeções são bastante positivas, e esperamos que elas se confirmem na feira”, acrescenta o presidente do Sindicato das Indústrias de Calçados de Três Coroas, Werner Junior.

Outro indicativo positivo é o crescimento da importância do mercado externo em um cenário de dólar valorizados. O câmbio atual aumenta a competitividade do calçado brasileiro. Ciente disso, a organização da feira tem atraído compradores de todos os continentes. “Nossa feira é voltada ao lojista brasileiro, e acreditamos que ele renovará seus estoques na Zero Grau. Ainda assim, não podemos deixar de entender o momento e a oportunidade de abrir novos mercados no exterior”, analisa o diretor da Merkator Feiras e Eventos, Frederico Pletsch.

Foto Dinarci Borges